Os profetas de Jesus

Ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele e pelas suas pisaduras fomos sarados. (Isaías 53.5)

Por ter escrito a sua história de Jesus tendo em vista os judeus, Mateus faz questão de mostrar que tais e tais acontecimentos deram-se porque estavam escritos em alguma passagem do Antigo Testamento. Daí a expressão que Mateus usa doze vezes: isso aconteceu para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor “por intermédio do profeta”. Em seis dessas ocasiões, ele não cita o nome do profeta; nas outras, ele menciona duas vezes o nome de Jeremias (2.17, 27.9) e quatro vezes o nome de Isaías (3.3, 4.14, 8.17, 12.17).

Os mais citados dos profetas de Jesus — aqueles que disseram alguma coisa que pudesse se aplicar à pessoa e ao ministério do Senhor — são Isaías, Jeremias, Oséas, Miquéias, Zacarias e Malaquias. O mais messiânico desses seis é o profeta Isaías.

As profecias dizem respeito ao nascimento de Jesus (Is 9.1-7), à sua cidade natal (Mq 5.2), ao nome Emanuel (Is. 7.14), à morte dos inocentes (Jr 31.15), à entrada triunfal (Zc 9.9), ao preço da traição (Zc 11.12) e à paixão de Jesus (Is 53.1-13).

Leio os profetas e me encontro com Jesus, leio o Evangelho de Mateus e me encontro com ele mais uma vez!

>> Retirado de Refeições Diárias com Jesus [Elben César]. Editora Ultimato.

Deixe um comentário