O nascimento de Cristo…

quinta-feira

Naqueles dias César Augusto publicou um decreto ordenando o recenseamento de todo o império romano. Este foi o primeiro recenseamento feito quando Quirino era governador da Síria. (Lucas 2.1-2)

É interessante que Lucas declara que este foi o primeiro censo. Um novo censo era realizado de tempos em tempos, mas os impostos eram exigidos todos os anos. Os líderes religiosos desafiaram Cristo a respeito desses impostos em Mateus 22.17. Quando Cristo foi preso, eles até mesmo o acusaram injustamente de aconselhar as pessoas a não pagarem impostos aos romanos. Os israelitas pagavam seus impostos de má vontade e não concordavam com a tributação e as leis do imperador romano. Eles reivindicavam que, por serem povo de Deus, deveriam ser livres do imperador. Eles discutiam se deviam pagar os tributos. Mas eles tinham de pagar de qualquer forma, pois não podiam defender-se pela força. Eles queriam arrastar Cristo para o meio da discussão e entregá-lo às autoridades romanas. Assim sendo, esse censo não era nada mais do que um dever comum em todos os países. Todos os anos, um tributo era previsto para todas as pessoas.

Observe como Lucas escolhe suas palavras com precisão. O nascimento de Cristo ocorreu durante o reinado de César Augusto e enquanto Quirino era governador da Síria – o distrito romano que incluía Israel naquele tempo. O fato de que Cristo nasceu durante o primeiro censo mostra que seu reino não era político nem sobre governantes seculares. Em vez disso, ele se sujeitou e sujeitou os próprios pais a esses governantes.

Se cristo tivesse tido o desejo de mostrar que ele não se sujeitaria a outros, ele poderia ter nascido antes do censo. O tempo do nascimento de cristo, sob o plano e a intenção de Deus, nos mostra que ele não queria reinar no mundo.

>> Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Deixe um comentário